Author Topic: Carta de Pe. Peek  (Read 893 times)

0 Members and 1 Guest are viewing this topic.

Offline Centroamerica

  • Sr. Member
  • ****
  • Posts: 2335
  • Reputation: +1441/-69
  • Gender: Male
Carta de Pe. Peek
« on: July 10, 2014, 09:22:59 PM »
  • Thanks!0
  • No Thanks!0
  • Caros amigos e benfeitores,

    Vejo que a imprensa Angelus está agora anunciando um novo livro: "As Perguntas Mais Feitas Sobre a Fraternidade São Pio X", por uns padres do seminário da Santa Cruz.  Segundo o que sei eu, é um livro que ainda não chegou na Austrália, mas permitem-me dizer que logo estará disponível a partir das barracas de livros da imprensa Angelus.  O que é isto tudo sobre agora?

    Bem, começou simplesmente como uma compilação útil para beneficiar nossos seminaristas e seminaristas em perspectiva com unas respostas às perguntas sobre "questões modernas": nossa própria irmandade e suas relações com Roma, por que não conformamos com o novus ordo, etc.  Você vai entender melhor, talvez, se eu apenas listar as questões abordadas:

    Quem foi o Arcebispo Lefebvre?

    O que é a Fraternidade São Pio X?

    A Fraternidade São Pio X  era suprimida licitamente?

    Não era Arcebispo Lefebvre suspenso de exercer todas as funções sagradas, juntamente com todos os padres que ele tinha ordenado?

    O que tem errado o Segundo Concílio Vaticano?

    Devemos estar seguindo o Papa John Paul II?

    Por que não aceitar o código de direito canônico de 1983?

    Por que os católicos não devemos assistir a nova missa?

    Sacerdotes tradicionais tem jurisdição (para ouvir confissões e realizar casamentos)?

    Tem perigo assistir a missa do Indulto?

    Era o Arcebispo Lefebvre excomungado por consagrar bispos ilegalmente?

    É cismática a Fraternidade São Pio X?

    E que é da Fraternidade São Pedro?

    O que estamos a pensar do "Catecismo da Igreja Católica"?

    Que são os Sedevacantistas?

    A idéia deste "manual" foi, portanto fornecer uma resposta pronta para essas perguntas que às vezes pode ser causa da pre-ocupação e que exigem bastante alguma pesquisa para responder plenamente.  E então pensava-se, especialmente tendo em conta certas controvérsias geradas pelo jornal "Católico" no decorrer de 1996, que um público mais vasto, necessárias e bem pôde apreciar um livro de referência pronto para o nosso pensamento sobre estas questões. Por isso sua publicação pela imprensa de Angelus; e eu aviso aquí que no livro tem bastante fotos, que na verdade deveriam melhorar tudo (as fotos nos dizem mais que as palavras as vezes).

    Há um outro projeto, no entanto, que gostava bastante de mencionar este mês: O Apostolado de orações para os sacerdotes.  Esta é uma iniciativa Australiana que  já tem oito anos agora e está espalhando para outros países, mas talvez ainda desconhecido para muitos de vocês.  É uma pia união abençoada pelo Arcebispo Lefebvre, cujo objetivo é precisamente a santificação dos sacerdotes por orações e sacrifícios, bem como, naturalmente, como a santificação dos seus membros por este apostolado mesmo.

    São definidas as orações para os sacerdotes e especialmente durante o mês do Sagrado Coração de Jesus e do Santo Rosário; Existem práticas cotidianas de piedade e exercícios, visando a santificação do apostolado, para o apostolado é a mais fecunda o mais perto que uno está unido a Deus e sua Santa vontade.  Vacilante e infiel sacerdotes são também um objeto especial de sua vida de oração e de sofrimento.

    Enquanto você pode entender a necessidade de rezar por sacerdotes infiéis, talvez você não vê por que rezar pelos outros.  Não deviam estar orando e sacrificando para você?  Sim, eles estão, mais por isso precisam sua gratidão orante.  Mas claro, ele vai mais longe do que isso. Eles próprios são mas "vasos de barro", filhos de homens de Adam, fracos como todos os outros (não modernistas como desenhar suas próprias conclusões de tais verdades?)  SantaTheresa uma vez pensei algo assim mas nos falou que aprendeu caso contrário:

    "Outra descoberta que fiz: sobre os sacerdotes.  Nunca tinha estado em contato próximo com eles, e eu tinha sido intrigado com essa frase na regra sobre o objeto principal da existência  dos Carmelitas reformadas.  Rezar para os pecadores, por todos os meios, mas por que não por os padres?  Certamente suas almas eram como cristal sem falhas já incomodou-me.  Bem, essa viagem para a Itália justificada em si, se apenas por iluminar com uma luzinha sobre minha vocação.Quer dizer, eu vivi durante um mês entre um monte de bons sacerdotes santos e tinha percebido que, apesar de seu alto cargo com posição acima dos anjos, eles têm suas fraquezas e suas fraquezas como outros homens. E estes eram bons sacerdotes santos, «o sal da terra»; Se essas pessoas precisam de nossas orações e precisam muitas, o que sobre os sacerdotes que foram folga?  «Se o sal perde seu sabor,» nosso senhor pede, ' o que tem ainda para dar sabor a ele?' Vejo agora, Mãe, uma vocação que maravilhoso é que visam (como nós Carmelitas) preservando o sabor da sal que vai preservar as almas dos homens...  Declarei na presença da Hóstia Sagrada que eu tinha chegado lá para salvar almas e, acima de tudo, a rezar para os sacerdotes."

    Se a comunhão dos Santos sempre exigiu que os padres rezam para seus rebanhos e seus filhos orar por seus pastores, quanto mais então neste dia e idade quando, a vocação do sacerdote tendo perdido nada de sua dignidade e exigências nem a inimizade especial de Satanás, nós somos todos só crianças do nosso século: instável, revolucionário, profano, materialista, sensual,...?

    http://www.sspxasia.com/Newsletters/1997/December/Letter-of-Father-James-Peek.htm





    We conclude logically that religion can give an efficacious and truly realistic answer to the great modern problems only if it is a religion that is profoundly lived, not simply a superficial and cheap religion made up of some vocal prayers and some cerem

     

    Sitemap 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12 13 14 15 16